sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Se te contasse

Se te contasse apenas
Metade da minha alma
Ficarias com a dúvida
De como seria a alma completa...

Se me contasse
Essa mesma metade
Ficava com outra dúvida
De quem estaria a falar...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Intensidades

Ser sempre um passado,
Que podia ter sido
Mais que apenas isso,
Um naco de tempo
Vivido com mais intensidade....

E sou sempre nostálgico...,
Não desse passado,
Mas dessoutra intensidade
Que ficou num tempo eterno.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

English poem

I could go into you
If I knew
That you could go
Into your words...

As a whole meaning
That meant you
And......
Eventually
With me.

Your words
My mind
A dream that could
Eventually, be a dream.

Uns nadas

Hoje fiz um pequeno nada.
Apenas um acto de amor...

E, podem crer?
Não é que este se replicou?
E, em outros actos de amor,
Em todos os que tocou,
Reconfirmaram o seu amor
Não por ninguém,
Mas pelo amor.

De uma canção

"I forgot to die" ( esqueci-me de morrer)

Quem é que se pode esquecer de morrer? Talvez quem ambicione a eternidade?

Mini curta

- Chegas-te a ver o blogue?
- Não tive tempo... Fui para o cinema, tive lá eu tempo para ver blogues...

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Mini curta

Vejo-te a sair da casa de banho e noto em dois detalhes: Tens nas mãos uma agulha de cozer com uma linha preta. Tens as calças rotas nos joelhos. E penso: Eia que chatice ter rompido as calças!


Depois, distraio-me e rectifico: É a moda estúpido! E logo penso que a agulha e linha terá sido para coser um pedaço qualquer de uma peça íntima, pois que é sempre útil e necessário apimentar a mente e deixar discorrer a tendência natural da minha animalidade. 

Nota: Afinal a linha era azul! Lá se vão as rendinhas pretas da lingerie....

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Lendo 195

"Já não me resta nada que me possa magoar a não ser tu."
Lawrence Durrell in Monsieur ou o Príncipe das Trevas, ed Difel, Lisboa, 1984, pág. 24.

Quando uma mulher (sim, este tipo de frases só pode ser dita por uma mulher!) diz este tipo de disparate é mais uma forma de estilo para continuar a castigar o homem. Se já nada há que magoe a senhora, significa que nada que rodeia o personagem lhe é indiferente, logo é uma secura de pessoa. Que mulher chata!
Bom... e já vos contei das pernas maravilhosas que ela tem? Quando calça umas meias de renda pretas e uns sapatos de salto alto só apetece é que a saia seja desmesuradamente curta. E, nem vos conto do seu volumoso e hirto peito... Pois é... faz tudo parte desta natureza animal.

Lendo 194

"Ninguém gosta de ser homossexual, assim como ninguém gosta de ser negro ou judeu."
Lawrence Durrell in Monsieur ou o Príncipe das Trevas, ed Difel, Lisboa, 1984, pág. 21

E é com frases destas que começam grandes questões. Homofóbico, intolerante, racista, etc, etc, etc... E ficamos todos onde estávamos antes de termos lido este tipo de frases. O que gostava de realçar é  mais o incómodo que a diferença da maioria provoca do que o motivo que nos coloca fora dessa maioria.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Caderno 22


desenhando a mesa

Caderno 22


Uma mão de um idoso cheia de artrites a pegar num copo de aguardente durante um programa sobre o quadro Fado de José Malhoa

Caderno 22



A ver programas entediantes de televisão

Caderno 22


Enquanto me entediava fortemente na Assembleia Municipal de Óbidos

As inovações em modo de curta

E pensei naquele dia em que quase em sussurro confidenciava que antes de se deitar, despia-se e tomava primeiro um banho de água bem quente. Depois, então, ia para a cama e tal como havia vindo ao mundo... Arrepiei-me... Como é que se pode ter este tipo de pensamentos em pleno Inverno quando taz tanto frio que se torna quase impossível ousar pensar em tal coisa que não apanhe de imediato uma enorme constipação!
Vou ter que esperar mais uns meses para revisitar este pensamento e, quem sabe, deixar-me ir mais além do banho...
E sorrio com a ideia.
E ela sorri de volta.
E, com a pele perfumada, os seios cheios, desafiantes num caminhar seguro de quem sabe o que quer e encostada a mim sopras ao meu ouvido:
- Ainda bem que ainda estás vivo...
Para alguma coisa se fizeram os edredons! 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Pensamento do dia II

Uma defenestração por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Pensamento

Uma boa defenestração pode levar à libertação.

Humor negro

Em tribunal o Juiz prepara-se para julgar um suspeito de ter sido apanhado a ter relações sexuais não consentidas, nem sequer perguntadas, pois a senhora estava de tal modo embriagada que não dava qualquer acordo de si. Seria, portanto, mais correcto afirmar ter utilizado o corpo de uma mulher para obter um prazer e satisfação sexual.
- Diga-me, então meu caro senhor, o que o levou à situação que consta no vídeo que consta dos autos.
- Senhor Juiz, eu fui chamado ao local para uma emergência...
- Quer definir melhor emergência? Isto para não se dar o caso de se poder aferir que a emergência era o que vimos.
- Não senhor Juiz, era o caso de uma pessoa ter perdido os sentidos.
- Muito bem. Portanto o senhor foi chamado para prestar auxílio a uma pessoa que perdeu os sentidos.
- Isso mesmo.
- Continue, então.
- Ao chegar ao local, depara-mo-nos com a rapariga no chão. Fizemos todos os procedimentos usuais e acabamos por colocar a senhora na maca, para a levar ao hospital.
- E durante esse tempo, em algum momento falou com a rapariga?
- Não.
- Tentou falar?
- Sim.
- E como reagiu a rapariga?
- Não reagiu, manteve-se em silêncio.
- Registou alguma expressão?
- Não, senhor Juiz, nada.
- Diga-me, então o que se passou em seguida.
- Passou-se o que está no video.
- E porque é que o senhor agiu assim?
- É que lembrei-me da minha mulher.
- Como assim?
- É que ela também se faz de morta.

E se houver amanhã?

E se houver amanhã?
Se tiver sentido
Toda a metafísica,
a teologia
e, até, as escrituras?


Acordar com chuva

Com a luz do dia a começar a despontar cai uma imensa e barulhenta chuvada. A maravilhosa melancolia do renascer faz-se presente. Ao fundo, até, um pássaro insiste repetidamente um fino piar. E enquanto a chuva escorre pela estrada abaixo até à sarjeta num percurso sempre igual e aparentemente repetido, o dia insiste em rasgar a luz do candeeiro da rua para instalar o tom cinzento. E, assim, até o pássaro se cala...

Vou voltar para a cama que o sino da igreja já tocou.

Tendências matinais

Entre a Lua e o Sol, fico com dúvidas. Cada um tem o seu encanto, a sua magia e a sua sedução.
O que apetecia mesmo era tudo. E de tal modo que não deixasse tempo a estas reflexões. Satisfação plena e constante.